Friday, 21 February 2020
Fuja de WiFi gratuita e evite problemas
07 Janeiro 2020 George Phill

Se você não perde a oportunidade de usar uma WiFi aberta, ou um acesso gratuito à Internet em algum estabelecimento comercial, sugiro que leia esse texto antes de priorizar a economia em detrimento da segurança. Você não faz ideia de quantas pessoas estão compartilhando aquela rede com você de forma anônima, e que qualquer uma delas pode estar ali apenas procurando um dispositivo para invadir de algum lugar desconhecido dentro do raio de alcance do roteador.

Redes abertas são bastante cômodas, mas também podem ser territórios virtuais para várias armadilhas digitais, com consequências bem reais.

Uma das maneiras utilizadas por invasores é a captura de um endereço real da Internet. Ele "engana" o roteador e o faz redirecionar os usuários daquela rede, que tentam acessar um site oficial, para um site fraudulento com a mesma aparência. Você pensa estar acessando a página do seu banco, por exemplo, e fornece seus dados de acesso sem saber que está apenas os enviando para o ladrão de informações.

Outra tática usada pelo criminoso é a criação de redes WiFi com nomes parecidos aos de um estabelecimento que você costuma acessar. Então, ele espera você se conectar a esta rede falsa e intercepta todas as informações que você está enviando pela internet, como emails, dados de cartões de crédito, dados bancários, entre outros.

Nas redes WiFi mais comuns só existem basicamente dois dispositivos de segurança: a senha de acesso às configurações do roteador e a senha de autenticação (chamada de senha do WiFi). Mas, em alguns lugares, os proprietários, além de deixarem a rede aberta (sem senha), mantém o longin do roteador com o padrão de fábrica, geralmente "admin".

Em uma rede nessas condições, por mais que você estivesse usando um antivírus no seu notebook ou smartphone, o seu dispositivo estaria completamente vulnerável a aos ataques descritos acima.

O que fazer, então?

Nesse caso, o ideal é não se conectar a redes públicas. Mas, se você acha que a sua necessidade de se conectar é maior que os próprios riscos, utilize um antivírus ou uma VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) confiável.

O que é uma VPN?

Uma VPN, como a própria sigla indica, é uma rede virtual privada que cria uma espécie de corredor (tunel) de comunicação seguro entre o seu dispositivo e o serviço que você acessa, fazendo com que a troca de informações seja feita de modo protegido.

 

Mesmo utilizando uma VPN, ao se conectar a uma rede WiFi aberta ou pública, evite realizar tarefas que exponham seus dados. Por exemplo, não acesse a sua conta de banco nem faça compras online com seu cartão de crédito nessas condições.

Como recurso adicional, use sempre a autenticação em duas etapas para acessar sites, e evite instalar atualizações de apps quando estiver em uma conexão aberta. Na verdade, esse procedimento deve ser feito em qualquer conexão, mesmo em sua própria casa.

Resumindo, conectar-se a uma rede pública significa compartilhar a internet com pessoas desconhecidas, e assumir todos os riscos resultantes disso porque é impossível garantir que todas as pessoas conectadas estejam usando a rede da forma idônea. Evite se submeter a essas situações, mas caso seja muito necessário, minimize os riscos utilizando as sugestões desse artigo.

https://hdmix.me/15
Compartilhe!

George Phill

Sou técnico em hardware e desenvolvedor web. Em 1994 fiz o meu primeiro curso de informática e, desde então, tenho me mantido sempre atualizado na área. Recentemente comecei a fazer pesquisas relacionadas a aplicação de novas tecnologias em atividades econômicas.


Consulte a nossa Política de Comentários